O VAZIO EXISTENCIAL EM INTERFACE COM O USO DE DROGAS SOB A ÓTICA DA LOGOTERAPIA E ANÁLISE EXISTENCIAL

Flavia Neves Ferreira, Roseana Barone Marx

Resumo


O presente estudo teve como objetivo geral analisar o vazio existencial em interface com o uso de drogas sob a ótica da Logoterapia e Análise Existencial, utilizando-se da pesquisa bibliográfica. Os objetivos específicos consistiram em apresentar os principais fundamentos da Logoterapia e Análise Existencial e identificar as possíveis causas do vazio existencial e do uso de drogas na contemporaneidade sob o viés da Logoterapia. Para Viktor Frankl a vida tem um caráter de missão, então todos tem uma tarefa a realizar e são motivados a buscar sentido em toda e qualquer situação. No entanto, a vontade de sentido tem sido cada vez mais frustrada e isto leva o homem a um sentimento de vazio existencial. As causas para este sentimento são variadas, mas pode-se citar o reducionismo, conformismo, totalitarismo, hedonismo e o princípio da homeostase como um dos fatores que contribuem para o surgimento deste vazio. Na frustração da vontade de sentido, o indivíduo pode se refugiar na drogadição. A Logoterapia pode propiciar recursos importantes para despertar a consciência do homem como um ser responsável e afastá-lo do vazio existencial. 

 

Texto completo:

PDF

Referências


ASSOCIAÇÃO PSIQUIÁTRICA AMERICANA - APA.Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais. 4. ed. rev. Porto Alegre: Artmed, 2000.

FIZZOTTI, E. Abraham Maslow e Viktor E. Frankl: os ritos de cura como autorrealização e como busca de sentido. In A. N. Terrin (Ed.), Liturgia e terapia: a sacralidade a serviço do homem na sua totalidade. São Paulo: Paulinas,1998.

FRANKL, V. E. A presença ignorada de Deus. Petrópolis: Vozes, 2007.

FRANKL, V. E. Em busca de sentido: Um psicólogo no campo de concentração. São Leopoldo: Sinodal; Petrópolis: Vozes, 1991.

FRANKL, V. E. Um sentido para a vida. Petrópolis: Vozes, 2005.

FRANKL, V.E.Psicoterapia e sentido da vida: fundamentos da logoterapia e análise existencial. São Paulo: Quadrante, 2003.

FRANKL, V.E.Sede de sentido. São Paulo: Quadrante, 2015.

HERRERA, G.P. Viktor Frankl, comunicación y resistencia. 1. ed. Buenos Aires: San Pablo, 2006.

LIPOVETSKY, G. A era do vazio: Ensaios sobre o individualismo contemporâneo. Barueri: Manole, 2005.

LIPOVETSKY, G. CHARLES, S. Os Tempos Hipermodernos. São Paulo: Barcarolla, 2004.

LUKAS, E. Assistência logoterapêutica: Transição para uma psicologia humanizada. Petrópolis: Vozes, 1992.

OLIVEROS, O.L. KROEFF, P. Finitude e Sentido da Vida: A logoterapia no embate com tríade trágica. Porto Alegre: Evangraf, 2014.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.