A IMPORTÂNCIA DO RAIOS X PARA O DIAGNÓSTICO DE DISPLASIA COXOFEMORAL

Ariane Alberti, Dionei Pereira de França, Rosemara Aparecida Correa Pontes, Misael Laurentino da Silva

Resumo


este estudo tem o objetivo de identificar as técnicas auxiliares que são utilizadas na avaliação radiográfica da displasia coxofemoral nos cães analisando o índice do ângulo de Norberg e o método radiográfico de PennHip para displasia coxofemoral. A importância do exame de Raios X para o diagnóstico precoce da doença motivou a autora a elaborar este texto, valendo – se de uma estrutura metodológica de pesquisa bibliográfica mediante procedimentos técnicos adotados para sua plena organização. Em correspondência com os autores aqui trabalhados, estes nos apontam que para uma boa qualidade de imagem da radiografia no diagnóstico da doença é preciso obedecer alguns critérios de posicionamento e as imagens são avaliadas dentro de alguns parâmetros como os métodos do ângulo de Norberg e PennHIP. Isso mostra que uma boa qualidade de imagem e o uso dos métodos para o diagnóstico se descobre a doença precocemente, assim o cão pode ser tratado a tempo

Texto completo:

PDF

Referências


AGOSTINHO, I. C.; DUARTE, M. A.; CORREA, F. G., 2010. Displasia óssea - tratamentos e métodos radiográficos na incidência de displasia coxofemoral em cães. Disponível em http://faef.revista.inf.br/imagens_arquivos/arquivos_destaque/vsQ1EUHjXZMj4i0_2013-6-25-16-35-4.pdf . Acesso em 16 de Abril, 2017.

ANDRADE, E.G., 2006. Displasia coxofemoral. Disponível em http://tcconline.utp.br/wpcontent/uploads/2012/03/DISPLASIACOXOFEMORALpdf Acesso em 30 de Abril, 2017.

CHAGAS, B. B.; VAZ, D. P. Métodos por Imagem no Diagnóstico da Displasia Coxofemoral Canina. Disponível em http://famesp.com.br/novosite/wpcontent/uploads/2011/12/Artigo_Radiologia_nov2012.pdf. Acesso em 30 de Abril, 2017.

FROES, T.R.; GARCIA, D.A.A.; SCHMIDLIM, P.C., et. Al, 2009. Estudo comparativo e análise interobservador entre dois métodos de avaliação da displasia coxofemoral de cães. Disponível em http://revistas.ufpr.br/veterinary/article/view/13761/11558 Acesso em 12 de março, 2017.

GENUINO, P.C.,2010. Parâmetros radiográficos de displasia coxofemoral na raça Rottweiler. Disponível em file:///C:/Users/Ariane%20PC/Downloads/parametros_radiograficos_de_displasia_coxofemoral_em_caes_da_raca_rot%20(1).pdf Acesso em 30 de Abril, 2017.

GINJA, M. M. D.; SILVESTRE, A. M.; GONZALO-ORDEN, J. M.; FERREIRA, A. J. A. Diagnosis, genetic control and preventive management of canine hip dysplasia: A review. The VeterinaryJournal, v. 184, n. 3, p. 269-276, 2010.

ROCHA, F. P. C.; SILVA, D.; BENEDETTE, M. F., Et, al, 2008. Displasia coxofemoral em cães. Disponível em http://faef.revista.inf.br/imagens_arquivos/arquivos_destaque/3w06cWeAcFaNErX_2013-6-14-10-15-11.pdf/ Acesso em 18 de fevereiro, 2017.

SILVA, F. B. 2014. Método PennHIP e suas contribuições no controle de displasia coxofemoral, Universidade Federal de Santa Maria Centro de Ciências Rurais, 2014.

SMITH, G.K., BIERY, D.N., GREGOR, T.P. New concepts of coxofemoraljointstability and the development of a clinical stress-radiographic method forquantitating hip joint laxity in the dog. Journal of the American Veterinary Medical Association, v. 196, p. 59–70, 1990.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.