COMO A EDUCAÇÃO FÍSICA E EXERCÍCIO FÍSICO PODEM AUXILIAR NO COMBATE CONTRA A OBESIDADE EM CRIANÇAS E JOVENS

Angela Beatriz Barbosa Villas Boas, Lucio Mauro Braga Machado

Resumo


O presente trabalho tem por objetivo debater como a atividade física escolar e hábitos saudáveis podem prevenir e combater a obesidade, pois a atual realidade do tema em questão vem tomando grande proporção é de grande importância a atuação do professor de Educação Física para o combate desta doença que esta se tornando uma epidemia. O trabalho foi desenvolvido através de pesquisa bibliográfica com base em artigos e livros demonstrando como a atividade física na infância pode trazer benefícios sobre fatores de risco. Trazendo em seu desenvolvimento conceitos referente ao tema ajudando na compreensão do mesmo.

Ao seu fim concluindo a real importância do professor de Educação Física nos anos iniciais e também que não é apenas o papel do professor alertar combater mas sim um trabalho conjunto.

Texto completo:

PDF

Referências


AMARAL, Renata Busin do; GOMES, Roberta de Figueiredo; ROCKENBACH, Carla Wouters Franco. Síndrome metabólica, obesidade e atividade física: uma revisão , Buenos Aires, mar. 2013.

ARAÚJO, R. A.; BRITO, A. A.; SILVA, F. M. O papel da educação física escolar diante da epidemia da obesidade em crianças e adolescentes. Educação Física em Revista, Taguatinga, v.4, n. 2, maio/ ago. 2010.

BRASIL – Ministério da Educação e do Desporto. Parâmetros Curriculares Nacionais. Educação Física, Terceiro e Quarto Ciclos. 1998.

BARBIERI, César Augustus Santos. Esporte educacional: uma possibilidade de restauração do humano no homem. Canoas: Ed. ULBRA, 2001.

BARBANTI, V.J. Dicionário de educação física e esporte. 2º Edição, São Paulo: Manole, 2003.

BORBA, Patricia de Carvalho Silva. A importância da atividade física lúdica no tratamento de obesidade infantil. Universidade Gama Filho, Rio de Janeiro, 2006.

Brownell, K. D., & O'Neil, P. M. (1999). Obesidade. Em D. H. Barlow (Org.), Manual clínico dos transtornos psicológicos (pp. 355-403). Porto Alegre: Artmed

BETTI, Mauro; ZULIANI, Luiz Roberto. Educação Física Escolar: Uma Proposta de Proposta de Diretrizes pedagógicas. Revista Mackenzie, São Paulo, p.73-81, 2002.

CARVALHO, C. M. R. R. et al. Consumo alimentar de adolescentes matriculados em colégio particular de Teresina, Piauí, Br. Revista de Nutrição, Campinas, v.14, n.2, p.85- 93, maio/ago. 2001.

DARIDO, Suraya Cristina. Educação Física na Escola: Questões e Reflexões.Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2003.

Darido, S. C. e Rangel, I. C. A. Educação física na escola: implicações para a prática pedagógica. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan. 2005.

DOMINGUES FILHO, L. A. Obesidade e atividade física. Jundiaí: Fontoura, 2000

FERNANDES, Marcela de Melo; ENHA, Daniel Silva Gontijo; BRAGA, Francisco de Assis. Obesidade infantil em crianças da rede pública de ensino: prevalência e consequências para flexibilidade, força explosiva e velocidade. 2012. Disponível em: . Acesso em: 20 junho. 2016.

Fisberg, M. (1995). Obesidade na infância e adolescência. In M. Fisberg (Org.), Obesidade na infância e adolescência. São Paulo: Fundo Editorial BYK.

FRANCISCHI, R. P.; PEREIRA, L. O.; LANCHA JR., A. H. Exercício,

comportamento alimentar e obesidade: revisão dos efeitos sobre a composição corporal e

parâmetros metabólicos. Revista Paulista de Educação Física, São Paulo, v. 15, n. 2, p.117-146, julho/dezembro, 2001.

GALVÃO, Zenaide, RODRIGUES, Luiz H., SILVA, Eduardo V. M. e..Esporte. In: Educação física no ensino superior: educação física na escola: implicações para a prática pedagógica. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2005.

GUEDES, D. P.; GUEDES, J. E. R. P. Controle do peso corporal: nutrição, exercício e composição corporal. Londrina: Midiograf, 1998.

IBGE – INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicilio: síntese dos indicadores sociais uma análise das condições de vida da população brasileira. Rio de Janeiro. Disponível em: < http://www.mpgo.mp.br/portal/system/resources/W1siZiIsIjIwMTMvMDQvMDkvMTJfMDNfNDRfNTA5X29iZXNpZGFkZV9pbmZhbnRpbDIucGRmIl1d/obesidade_infantil2.pdf > Acesso em: 04 de julho 2016

LUIZ, Andreia Mara Gonçalvez et al. Depressão, ansiedade, competência social e problemas comportamentais em crianças obesas. Disponível em: . Acesso em: 26 julho. 2015.

LEITE, P. F. Aptidão física e saúde. 3ª ed., São Paulo: Robe Editorial, 2000.

MATSUDO, S.M.; MATSUDO, V.K.R. (2007), “Atividade física e obesidade: prevenção e tratamento”. São Paulo: Atheneu

MELLO, Elza D. De; LUFT, Vivian C.; MEYER, Flávia. Obesidade infantil: como podemos ser eficazes? Jornal de Pediatria, v. 80, n.3, p. 173-181. 2004.

MELLO, E. D.; LUFT, V. C.; MEYER, F. Obesidade infantil: como podemos ser eficazes? J Pediatr. 2004; 80(3).

NEVES, P. M. J. et al. Importância do tratamento e prevenção da obesidade infantil. Educação Física em Revista, v. 4, n. 2, maio/ago. 2010.

MCARDLE, W.D; KATCH, F.I; KATCH, V.L. Fundamentos de Fisiologia do Exercício. 2º Edição, Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2000.

ORGANIZAÇÃO Mundial da Saúde (OMS). Doenças crônico-degenerativas e obesidade: estratégia mundial sobre alimentação saudável, atividade física e saúde. 2003. Disponível em: http://www.opas.org.br/sistema/arquivos/d_cronic.pdf Acesso em: 29 jan. 2009

OLIVEIRA, Ricardo Jacó de. Saúde e Atividade Física: Algumas Abordagens Sobre Atividade Física Relacionada à Saúde. Rio de Janeiro: Shape, 2005. REIS, Cleiton Pereira. Atividade Física e Obesidade. EFDeportes.com, Revista Digital. Buenos Aires Ano 13 – N 130, março.

PEREIRA, MM; MOULIN, AFV. Educação Física para o Profissional Provisionado. Brasília: CREF7, 2006. P.12.

POSTON, W.S.C; SUMINSKI, R.R; FOREYT, J.P Nível de atividade física e tratamento da obesidade severa. In: BOUCHARD, C. (Ed.). Atividade física e

obesidade. São Paulo: Manole, 2003. p. 339-358

Portal da educação. A educação Física Escolar na Década de 80. Disponivel em: http://www.portaleducacao.com.br/educacao-fisica/artigos/57909/a-educacao-fisica-escolar-na-decada-de-80 Acesso em: 08 de setembro de 2016.

RECINE, Elisabetta; RADAELLI, Patrícia. Obesidade e desnutrição. Brasília, 2002. Disponível em: . Acesso em: 27 jun. 2016.

REIS, Cleiton Pereira. Atividade Física e Obesidade. EFDeportes.com, Revista Digital. Buenos Aires Ano 13 – N 130, março 2009.

SICHIERI, Rosely and SOUZA, Rita Adriana de.Estratégias para prevenção da obesidade em crianças e adolescentes. Cad. Saúde Pública [online]. 2008, vol.24, suppl.2, pp.s209-s223. ISSN 1678-4464. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X200800140000

SEIDELL, J. C. A atual epidemia de obesidade. In: BOUCHARD, C. (Ed.). Atividade física e obesidade. São Paulo: Manole, 2003. p. 23- 33.

Sorensen TIA. The genetics of obesity. Metabolism 1995. In: ESCRIVÃO, Maria Arlete M.S et al . Obesidade exógena na infância e na adolescência. Rio de Janeiro: Jornal da pedriatria, 2000.

TADDEI, J. A. A. C. Epidemiologia da obesidade na infância e adolescência. In: FISBERG, M. (Org.). Obesidade na infância e adolescência. São Paulo: Fundo

Editorial BYK, 1995. p. 14-18

TUBINO, M.J.G. Dimensões sociais do esporte. 2. ed. São Paulo: Cortez,2001.

VIUNISKI, N. Obesidade Infantil: Um Guia Prático. 1º Edição, Rio de Janeiro: EPUB, 2000.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.