PSICOTERAPIA COMO FATOR DE RESILIENCIA EM ADULTOS VÍTIMAS DE ABUSO SEXUAL INFANTIL

Daniela Santos Machado, Valéria Rossi Sagaz

Resumo


Este artigo de revisão focalizou a psicoterapia como fator de resiliência em adultos que sofreram abuso sexual na infância. Apresenta o conceito de abuso sexual infantil, as consequências físicas e psicológicas a curto e longo prazo para a vítima, o conceito de resiliência e fatores de risco e de proteção. O método utilizado para a realização deste trabalho foi a pesquisa bibliográfica, contando com bases de dados como Scielo, LILACS e Google Acadêmico, além de bibliotecas convencional e online e publicações no site do Ministério Público de Saúde. A resiliência pode ser definida como a capacidade do indivíduo de enfrentar situações adversas e superá-las, assimeste artigo focou-se no indivíduo vitimado e que, portanto teve o desenvolvimento desta capacidade prejudicada, uma vez que sofreram tal violação em um período onde suas funções psicológicas, emocionais, físicas e cognitivas ainda se encontravam em formação, e teve como objetivo pesquisar sobre a importância do acompanhamento psicológico no processo de resiliência de adultos que foram vitimas do abuso sexual infantil,conhecer as consequências do abuso sexual infantil para a vida adulta, identificar fatores de risco e de proteção dos adultos abusados na infância e estudar sobre o acompanhamento psicológico como fator de resiliência. O referencial teórico levantado para a elaboração deste trabalho permite afirmar que a psicoterapia se apresenta como um importante fator para a promoção da resiliência, não apenas nos casos de vítimas do abuso sexual, mas para todas as situações de adversidade uma vez que estas são inevitáveis no decorrer da vida.

Texto completo:

PDF

Referências


AMAZARRAY, Mayte Raya; KOLLER, Silvia Helena.Alguns aspectos observados no desenvolvimento de crianças vítimas de abuso sexual. Psicologia: Reflexão e Crítica, Porto Alegre, v. 11, n. 3, p.05-25, mar. 1998.

BORGES, Jeane Lessinger; DELL”AGLIO, Débora Dalbosco. Relações entre abuso sexual na infância, Transtorno de Estresse Pós-Traumático (TEPT) e prejuízos cognitivos. 2008. Disponível em: . Acesso em: 17 mar. 2016.

BORGES, Jeane Lessinger; DELL”AGLIO, Débora Dalbosco. Abuso Sexual Infantil: Indicadores de Risco e Conseqüências no Desenvolvimento de Crianças. 2008. Disponível em: . Acesso em: 05 jul. 2016.

CABRAL, Stela Araújo; LEVANDOWSKI, Daniela Centenaro. Resiliência e psicanálise: aspectos teóricos e possibilidades de investigação. Revista Latinoamericana de Psicopatologia Fundamental, São Paulo, v. 1, n. 16, p.42-55, mar. 2013.

FERREIRA, Ana Rita Frade. Estrtégias gerais e intervenções técnicas específicas no processo de tomada de decisão em psicoterapia. 2013. 67 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Mestrado Integrado em Psicologia, Secção de Psicologia Clínica e da Saúde/núcleo de Psicoterapia Cognitiva-comportamental e Integrativa, Universidade Se Lisboa, Lisboa, 2013. Disponível em: . Acesso em: 20 out. 2016.

FREUD, Sigmund. "Gradiva" de Jensen e outros trabalhos. Rio de Janeiro: Imago, 2009. 135 p. (Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud).

GABEL, Marceline. Crianças vítimas de abuso sexual. São Paulo: Summus, 1997. 252 p.

GRUNSPUN, Haim. Criando filhos vitoriosos: Quando e como promover a resiliência. São Paulo: Atheneu, 2005. 212 p.

HABIGZANG, Luísa F. et al. Abuso Sexual Infantil e Dinâmica Familiar: Aspectos Observados em Processos Jurídicos. 2005. Disponível em: . Acesso em: 27 set. 2016.

HABIGZANG, Luísa F. et al. Avaliação Psicológica em Casos de Abuso Sexual na Infância e Adolescência.2008. Disponível em: . Acesso em: 21 ago. 2016.

Ministério Público de Saúde. Abuso sexual é o segundo maior tipo de violência. 2012. Disponível em: . Acesso em: 17 mar. 2016.

MIRANDA, Filipe Leão; PIRES, António Pazo; CANTA, Guilherme Rui. Factores específicos ou factores comuns? Processo e mudança na psicoterapia psicanalítica. 2010. Disponível em: . Acesso em: 20 out. 2016.

MOUAMMAR, Christiane Carrijo Eckhardt. Abuso Sexual Infantil e Incesto: a ética da escuta na clínica de Françoise Dolto. 2012. Disponível em: . Acesso em: 28 out. 2016.

NEVES, Anamaria Silva; CASTRO, Gabriela Brito de; HAYECK, Cynara Marques. Abuso sexual contra a criança e o adolescente: reflexões interdisciplinares. Temas em Psicologia, Ribeirão Preto, v. 18, n. 01, p.99-111, jan. 2010. Disponível em: . Acesso em: 01 abr. 2016.

PADILHA, Maria da Graça Saldanha; GOMIDE, Paula Inês Cunha. Descrição de um processo terapêutico em grupo para adolescentes vítimas de abuso sexual. 2004. Disponível em: . Acesso em: 15 mar. 2016.

POLETTO, Michele; KOLLER, Sílvia Helena. Contextos ecológicos: promotores de resiliência, fatores de risco e de proteção. 2000. Disponível em: . Acesso em: 09 out. 2016.

SORDI, Anne Orgler; MANFRO, Gisele Gus; HAUCK, Simone. O Conceito de Resiliência: Diferentes Olhares. Revista Brasileira de Psicoterapia, Porto Alegre, v. 2, n. 13, p.115-132, mar. 2011.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.